Proteção do clima

Tag

[GRI 302/103-1/2, 305/103-1/2] Comprometemo-nos com a redução das consequências da nossa atividade comercial no clima. Em 2015, definimos o objetivo de agir em prol do clima na nossa Política de Corporate Responsibility (CR). Na nossa Política Climática, publicada em 2018, estabelecemos um objetivo ambicioso e definimos a base para medidas abrangentes. Desta forma, contribuímos para o cumprimento dos objetivos do Acordo de Paris sobre o Clima e para a implementação do objetivo 13 “Ação climática” da Agenda 2030 das Nações Unidas (United Nations – UN).

A nossa abordagem

[GRI 302/103-2/3, 305/103-2/3] O ALDI Nord definiu um objetivo claro para a proteção do clima: comprometemo-nos a reduzir em 40 por cento as nossas emissões de gases de estufa até 2021, em comparação com o ano de 2015. Este objetivo é válido para todas as emissões resultantes da nossa atividade comercial (emissões Scope-1 e Scope-2). Os nossos objetivos e medidas encontram-se resumidos na nossa Política Climática Internacional.

A nossa Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas tem uma perspetiva de longo prazo e contempla duas prioridades:

  • Através de medidas de eficiência, reduzimos a utilização de energia, fluidos refrigerantes e combustíveis, considerando, em particular, as áreas onde o consumo é mais elevado.
  • Compramos energia elétrica de fontes renováveis. Esta medida abrange a produção própria e a compra de energia elétrica.

O nosso balanço climático reparte as nossas emissões de gases de estufa por fonte e indica-nos pontos de partida para a implementação de medidas de proteção climática. Este balanço é elaborado conforme o Greenhouse Gas (GHG) Protocol, uma norma reconhecida a nível mundial e verificada por auditorias independentes.

Resumo das nossas fontes de emissões mais importantes
  • Lojas: Como é habitual no retalho, as nossas lojas consomem a maior parte da energia na refrigeração dos bens alimentares, na iluminação da zona de venda e no aquecimento.
  • Refrigeração: A refrigeração dos nossos produtos exige a utilização de fluidos refrigerantes. Através de fugas, os fluidos refrigerantes podem sair para a atmosfera e contribuir para o aquecimento global.
  • Logística: Ao nível de todo o grupo empresarial, cerca de um oitavo das emissões de gases de estufa corresponde ao consumo de gasóleo dos camiões (ver também “Mobilidade & Logística”).
  • Centros logísticos: A iluminação dos nossos centros logísticos corresponde à maior parte do consumo de energia elétrica (até 50 por cento).

Para que as medidas de proteção climática sejam implementadas em toda a empresa, é necessário definir um indicador de gestão. Por isso, no decorrer do ano de 2018, iremos definir um preço interno para uma tonelada de CO2. Este preço deverá ser aplicado em todos os processos de decisão de investimento. Desta forma, queremos consagrar a proteção do clima nos nossos processos empresariais.

Organização & Responsabilidades

[GRI 302/103-2/3, 305/103-2/3] A proteção do clima exige a colaboração e o conhecimento de várias áreas de forma a assegurar que conseguimos reagir de forma rápida e flexível a desenvolvimentos tecnológicos e novos regulamentos legislativos. Por isso, asseguramos que todos os departamentos, áreas e peritos (CR, Imobiliário e Expansão, Refrigeração e Logística) trocam experiências numa comissão específica.

Diretrizes & Regulamentos

A nossa Política Climática Internacional define o quadro para as nossas medidas de proteção climática ao nível de todo o grupo empresarial. A mesma foi definida na primavera de 2018.

O regulamento da União Europeia (UE) relativo aos gases fluorados com efeito de estufa define a redução das emissões ao nível da União Europeia até ao ano de 2030. Este regulamento é particularmente relevante para nós, pois durante nossa atividade comercial são libertados gases fluorados com efeito de estufa devido à necessidade de refrigeração.

Progressos & Medidas 2017

[GRI 302/103-1/2, 305/103-1/2]

Desenvolvemos uma Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas com um pacote de medidas concretas

Em 2017, concluímos o desenvolvimento de uma Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas do ALDI Nord. Nesse âmbito, foram avaliados projetos de proteção climática já implementados e novas medidas analisadas. O resultado desta análise foi um pacote vasto de várias e potenciais medidas de proteção climática. As sociedades regionais nos países ALDI Nord decidem quais as medidas que melhor se adequam aos seus objetivos nacionais específicos, com base nos seus critérios individuais.

Lojas: tecnologia inovadora reduz o consumo de energia

Cerca de um quarto do consumo de energia elétrica de uma loja corresponde à iluminação da área de venda. Desde 2016, instalámos iluminação LED em todas as novas lojas de todos os países. Este tipo de iluminação consome 50 por cento menos energia elétrica do que a iluminação convencional. Desde 2017, na maioria dos países, equipamos também as áreas de venda das lojas existentes com iluminação LED, inclusive a iluminação dos móveis de frio e das arcas congeladoras. Tendo em conta que a iluminação LED emite menos calor do que os outros tipos de iluminação, consequentemente os móveis de refrigeração consomem menos energia elétrica. Nas nossas lojas modernizadas, aquando fora do horário de abertura, iluminamos a zona de vendas conforme necessidade. Além disso, a utilização de janelas grandes reduz a necessidade de iluminação artificial. A tecnologia LED é também utilizada nos espaços exteriores, parques de estacionamento, armazéns e zonas sociais das lojas.

Um outro ponto de partida para uma maior proteção climática é a refrigeração. Produtos congelados são apresentados em arcas congeladoras e, nas nossas lojas novas, também em congeladores verticais. Passamos a comprar somente congeladores com fluidos refrigerantes naturais. Graças a compressores de rotação regulada e iluminação LED, os congeladores consomem até 35 por cento menos energia elétrica do que modelos anteriores, mesmo sendo do mesmo tamanho. Desde 2017, utilizamos, na Alemanha, na maioria das lojas novas e remodeladas, CO2 como fluido refrigerante nos móveis de frio. Os sistemas integrados CO2 nas construções novas também são utilizados para o aquecimento, ao aproveitar o calor resultante da geração de frio, bem como do ar extraído.

Esta nova tecnologia será complementada por um sistema de gestão de energia abrangente. Em 2017, introduzimos na Alemanha, para todas as nossas lojas e centros logísticos, um sistema que fornece dados atuais sobre os consumos de energia. Em Espanha, utilizamos em 40 lojas um sistema de gestão de energia através do qual é possível registar e analisar, centralmente, os consumos de energia dos equipamentos que mais energia consomem. Na Holanda, introduzimos em 2018 um sistema de gestão de energia conforme ISO 50001.

Fluidos refrigerantes: menos fugas e alternativas amigas do clima

Evitar as fugas de fluidos refrigerantes é uma componente importante da nossa Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas. Em 2017, para todos os nossos locais na Alemanha, complementámos esta medida com um sistema digital de monitorização, além de verificações regulares. O registo e a análise dos dados permite um controlo rápido de todos os equipamentos de frio. Em França e na Holanda, verificamos atualmente também a introdução geral deste sistema.

Em paralelo, substituímos os fluidos refrigerantes utilizados até à data por alternativas mais amigas do clima. Na Alemanha, em todos os móveis de frio e congeladores, substituímos, de forma faseada, o fluido refrigerante para propano (R290). Este representa um potencial de aquecimento global inferior. Nos nossos novos equipamentos de frio CO2, utilizamos CO2 como fluido refrigerante.

Entre 2015 e 2017, conseguimos reduzir as emissões provocadas pelas fugas de fluidos refrigerantes em 16 por cento, o que corresponde a 99 000 toneladas de CO2.

Centros logísticos: iluminação eficiente e adequada às necessidades

Na Alemanha e Bélgica, planeamos uma conversão para iluminação LED em todos os nossos centros logísticos. Na Dinamarca, esta medida já foi implementada. Até ao final de 2017, modernizámos, em todo o grupo empresarial, 27 dos 73 centros logísticos com iluminação LED. Dois centros logísticos foram encerrados no final do mesmo ano. No total, prevemos poupar a emissão de cerca de 3000 toneladas de CO2 por ano. Além disso, verificamos a viabilidade da utilização de iluminação adequada às necessidades através de sensores de movimento e de luz nos centros logísticos.

Energias renováveis: mais energia verde até 2021

Os telhados de muitas lojas e centros logísticos estão equipados com sistemas fotovoltaicos. Em 2017, os nossos sistemas tinham uma potência instalada de mais de 32 000 kWp (Kilowatt peak) e produziram mais de 23 000 MWh de energia elétrica. Desta forma, evitámos cerca de 6600 toneladas de emissões CO2. Até 2021, pretendemos instalar mais 50 000 kWp de potência adicional. Para a ALDI França estão planeados 120 sistemas. Na ALDI Bélgica, em 2018/2019, 18 novos sistemas serão acrescentados aos 40 sistemas já instalados. No final do ano de 2017, a ALDI Portugal tinha 16 sistemas fotovoltaicos instalados; até 2021, será instalada uma potência adicional no valor de 5000 kWp.

Atualmente, cerca de 70 por cento da energia elétrica que consumimos é produzida por nós. Queremos aumentar esta proporção. Para o efeito, avaliamos a utilização de tecnologias de armazenamento que nos permitem utilizar noutros momentos a energia excedente. O ALDI Nord Alemanha equipou, no âmbito do projeto ESyCool green, três lojas-piloto com baterias inovadoras de gelo. Devido a esta solução, a empresa Viessmann, nosso parceiro, recebeu, em Fevereiro de 2018, o Prémio Alemão de Inovação para o Clima e Ambiente 2017 (Deutscher Innovationspreis für Klima und Umwelt – IKU) na categoria “Processos de inovação para a proteção climática”. Após conclusão da fase de testes, decidiremos acerca da sua implementação.

Apesar de instalarmos cada vez mais sistemas fotovoltaicos, nos próximos anos continuaremos a adquirir energia elétrica através da rede pública. Para cumprir o nosso objetivo definido na Polícia Climática, planeamos comprar mais energia verde até 2021. Já em 2015, a ALDI Holanda converteu toda a energia elétrica utilizada para energia verde, conseguindo que esta tenha sido proveniente unicamente de energia eólica no ano de 2017. Desta forma, reduzimos as emissões CO2 no ano de 2017 em 40 000 toneladas. Atualmente, elaboramos critérios rigorosos para a compra de energia verde.

Objetivos & Status quo

[GRI 302/103-2/3, 305/103-2/3] Na nossa Política Climática definimos como objetivo, até 2021, reduzir as nossas emissões de gases de estufa em 40 por cento, em comparação com os valores de 2015. Para um controlo eficiente, medimos, regularmente, os progressos do projeto e os dados de emissões de todo o grupo empresarial. Estes são avaliados pelo Departamento CR e analisados no âmbito de uma comissão específica. Caso uma determinada medida não demonstre o efeito desejado, novas medidas serão discutidas e verificadas. Reportamos inteira e externamente o ponto de situação quanto ao cumprimento do objetivo da nossa meta climática ao nível do grupo empresarial.

Os nossos objetivos do programa CR

Área de atuação: Conservação de Recursos

Objetivo Status atual

Data do objetivo

Valor do objetivo
Relevância do objetivo
Redução das emissões de gases estufa em 40% até 2021 em comparação com ano de referência de 2015 novo 2021 -40% comparado com 2015 Grupo empresarial
Introdução de iluminação LED em todas as lojas novas (iluminação interior e exterior) e verificação da possibilidade de conversão para iluminação LED das lojas e centros logísticos já existentes   2019 (e contínuo) 100% Grupo empresarial
Incremento da proporção das lojas equipadas com instalações fotovoltaicas  
contínua Continuação e expansão Grupo empresarial
Desenvolvimento de procedimento para medição, análise e redução de emissões de gases de efeito estufa  
2017 Procedimento Grupo empresarial
Desenvolvimento de procedimento para a introdução de um sistema de monitorização e de gestão de energia Objetivo cumprido para a Alemanha 2017 Procedimento Grupo empresarial
Implementação da certificação ISO 50001 em todas as localizações novo 2018 100% Holanda
Aumento da quota de utilização própria da energia autoproduzida através de instalações fotovoltaicas nas lojas, mediante combinação de processos de sistemas fechados de frio e de calor, bem como um alinhamento adequado das instalações fotovoltaicas   contínua Continuação e expansão Alemanha
Introdução de um sistema de monitorização digital e com cobertura territorial para sistemas de refrigeração, com o fim de reduzir as emissões via otimização das taxas de fuga nos aparelhos e/ou utilização de fluidos refrigerantes amigos do ambiente   contínua 100% Alemanha
Introdução de um sistema de monitorização digital e com cobertura territorial para sistemas de refrigeração, com vista a reduzir as emissões, via otimização das taxas de fuga nos aparelhos e/ou utilização de fluidos refrigerantes amigos do ambiente   2017 100% Holanda
Conversão gradual de todas as arcas de frio compactas e prontas para utilizar – para o fluido refrigerante propano (R290) com potencial de aquecimento global (Global Warming Potential – GWP) reduzido)   contínua 100% Alemanha

Objetivo cumprido   Processo contínuo

Indicadores

Consumo direto de energia [GRI 302-1]

Consumo direto de energia em edifícios e na logística, repartido por países (em MWh)1

 A maior parte do consumo de energia direto deve-se à utilização de gás natural para gerar calor e ao gasóleo como combustível utilizado na logística. O consumo global diminuiu ligeiramente relativamente a 2016.

  2015 20162 2017  
Bélgica/ Luxemburgo3 108 941 109 576 111 286
Dinamarca 20 962 20 692 19766
Alemanha 386 112 402 431 397 002
França 149 429 143 479 147 787
Holanda 84 156 86 055 80 058
Polónia 12 896 14 905 16 639
Portugal 1013 1084 1206
Espanha 4177 4449 4731
Grupo empresarial 767 686 782 671 778 475

1 Os dados baseiam-se parcialmente em estimativas e extrapolações.
2 Devido a comunicações complementares para o ano de 2016, foram efetuadas atualizações face ao relatório do ano anterior.
3 Os dados referentes às sociedades juridicamente independentes do grupo empresarial ALDI Nord na Bélgica e no Luxemburgo foram agregados para fins de simplificação (ver “Sobre este relatório“).

Consumo direto de energia por fontes [GRI 302-1]

Consumo direto de energia em edifícios e na logística, repartido por fontes de energia (em MWh)1

  2015 2016 2017
Gás natural 418 129 429 621 418 921
Fuelóleo 27 589 25 321 25 509
Biogás 154 89 67
Gasóleo (incl. geradores a gasóleo) 321 314 327 163 333 492
Gasolina 66 26 18
GPL 434 451 466

1 Os dados baseiam-se parcialmente em estimativas e extrapolações.

Consumo indireto de energia [GRI 302-1]

Consumo de energia elétrica e energia térmica (em MWh)1

 O consumo de energia elétrica nas nossas localizações, com quase 990 GWh, é o responsável pela maior parte da necessidade energética. Em relação ao ano anterior, registou-se apenas um aumento ligeiro de cerca de seis por cento. Este aumento deve-se, em parte, a períodos de operação mais alargados, bem como à colocação de arcas congeladoras adicionais e fornos nas lojas.

  2015 20162 2017
  Total Energia elétrica Energia térmica à distância Total Energia elétrica Energia térmica à distância Total Energia elétrica Energia térmica à distância
Bélgica/ Luxemburgo3 88 411
88 411
89 559 89 559
101 354 101 354
Dinamarca 50 569
39 659
10 910
51 141
39 739
11 402
50 470 39 855 10 615
Alemanha 451 014 433 393
17 621
463 361
445 897
17 464 472.279 454 553 17 726
França 177 762
177 762
167 805
167 805

180 752 180 752
Holanda 79 780 78 779 1001
82 177 81 077
1100 84 669 83 716 953
Polónia 17 394
16 110
1284
20 429
18 606
1823
25 335 22 173 3162
Portugal 14 113
14 113
14 884
14 884
17 720 17 720
Espanha 79 694
79 694
79 070
79 070

89 029 89 029
Grupo empresarial 958 737
927 921
30 816
 968 426
936 637
31 789
1 021 608 989 152
32 456

1Os dados baseiam-se parcialmente em estimativas e extrapolações.
2 Devido a comunicações complementares para o ano de 2016, foram efetuadas atualizações face ao relatório do ano anterior.
3 Os dados referentes às sociedades juridicamente independentes do grupo empresarial ALDI Nord na Bélgica e no Luxemburgo foram agregados para fins de simplificação (ver “Sobre este relatório“).

Emissão de gases com efeito de estufa Scope 1 e 2 [GRI 305-1/2]

Emissões de gases com efeito de estufa Scope 1 e 2 (em toneladas equivalentes de CO2)

 As emissões de gases com efeito de estufa foram apuradas com base no consumo de energia e combustível e nas perdas de fluidos refrigerantes. O cálculo obedece aos requisitos do Protocolo Greenhouse Gas (GHG), utilizando os fatores de emissões DEFRA ou GEMIS para as emissões respeitantes a abastecimento de energia térmica à distância. Conforme Protocolo GHG, o cálculo das emissões Scope-2, resultantes do consumo de energia, é efetuado em separado e com base nos fatores de emissões baseados no local e no mercado. Enquanto no método baseado no local são considerados fatores para uma determinada região geográfica (por exemplo um país), para o método baseado no mercado são consideradas, desde que seja possível, as emissões do fornecedor de energia e da mistura individual de tipos de energia de uma empresa. O cálculo das emissões de gases de estufa baseadas no local baseia-se nos fatores da International Energy Agency (IEA).

  2015 2016 2017
  Scope 11 Scope 22
“baseado no local“
Scope 22
“baseado no mercado“
Scope 11 Scope 22, 3
“baseado no local“
Scope 22, 3
“baseado no mercado“
Scope 11 Scope 22
“baseado no local“
Scope 22
“baseado no mercado“
Bélgica/ Luxemburgo4 42 096 17 782 15 781
40 328 18 656 13 246 38 639 22 674 14 859
Dinamarca 11 104 13 241 8973
10 466 11 372 10 914 14 942 8119 10 859
Alemanha 120 089 214 793 262 533
110 178 211 664 38 301 108 069
203 918 223 790
França 74 861 11 350 2666
75 277 6863 6276 67 101 8364 6756
Holanda 31 253 35 044 72 29 802 38 393 143 28 147 40 984 124
Polónia 3940 12 866 13488
5501 14688 15 185 6931 17 295 18 441
Portugal 1529 3964 6180 2817 3793 4334 5 728 5695 5080
Espanha 12 239 19 467 30 218
12 267 20 096 26 774
10 980 25 718 29 854
Grupo empresarial 297 111 328 507 339 911
286 636 325 525 115 173 280 537 332 767 309 763

1Scope 1: emissões de consumo de energia direto em edifícios, consumo de combustível na logística e perda de fluidos refrigerantes.
2 Scope 2: emissões de consumo de energia elétrica e energia térmica à distância, repartidas por emissões baseadas no local e no mercado.
3 Devido a comunicações complementares para o ano de 2016, foram efetuadas atualizações face ao relatório do ano anterior.
4 Os dados referentes às sociedades juridicamente independentes do grupo empresarial ALDI Nord na Bélgica e no Luxemburgo foram agregados para fins de simplificação (ver “Sobre este relatório“).

Emissões de gases com efeito de estufa Scope 1 e 2 por fontes 2016 & 2017 [GRI 305-1/2]

Quantidade total de gases com efeito de estufa Scope 1 e 2 por fontes (em percentagem, considerando as emissões baseadas no local)

Potência instalada dos sistemas fotovoltaicos

Potência instalada dos sistemas fotovoltaicos (em kWp)

  2015 2016 2017
Bélgica/ Luxemburgo1 438 1095
2594
Dinamarca 35 45 45
Alemanha 11526
19 537 26 708
França 273
Holanda 149 149 209
Polónia
Portugal 866 990 1466
Espanha 732 804 850
Grupo empresarial 13 746
22 620
32 145

1 Os dados referentes às sociedades juridicamente independentes do grupo empresarial ALDI Nord na Bélgica e no Luxemburgo foram agregados para fins de simplificação (ver “Sobre este relatório“).

Produção própria [GRI 302-1]

Energia elétrica produzida nos sistemas fotovoltaicos e consumo próprio (em MWh)

  2015 2016 2017  
  Energia elétrica produzida Consumo próprio Energia elétrica produzida Consumo próprio Energia elétrica produzida Consumo próprio
Bélgica/ Luxemburgo1 275 251 815
659 1809 1629
Dinamarca 10 10 47 47 41 29
Alemanha 7498 4575 13 445 8752
18 261 11 967
França 125 102
Holanda 150 115 156 124 156 123
Polónia
Portugal 25 25 1085
864 1537 1285
Espanha 205 174 391 321 1224 1224
Grupo empresarial 8163 5150 15 939
10 767
23 153 16 359

1 Os dados referentes às sociedades juridicamente independentes do grupo empresarial ALDI Nord na Bélgica e no Luxemburgo foram agregados para fins de simplificação (ver “Sobre este relatório“).

Conteúdos adicionais
Os países ALDI Nord
Mais sustentabilidade no país dos discounters – ALDI Nord Alemanha

Tudo começou em 1913 com um negócio inicial em Essen-Schonnebeck, Alemanha. Hoje em dia, os clientes ALDI Nord tem à sua disposição 2249 lojas. Na Alemanha, uma das nossas prioridades é o aumento do bem-estar animal.

Temas principais
Desperdício Alimentar & Resíduos

Assumimos responsabilidade pela proteção do nosso ambiente e dos seus recursos naturais. Enquanto retalhista, a redução de resíduos e o combate ao desperdício alimentar assumem para nós um papel principal.

Destaques
Em nome do clima

As alterações climáticas dizem respeito a todos. Para tal, implementamos medidas de proteção climática em todas as localizações. Grande parte acontece nas nossas lojas, uma vez que é aí que podemos poupar grande parte do CO2.

Destaques
Entre!

Algo mudou: as nossas lojas modernizadas são luminosas e agradáveis, com mais espaço, novas cores e a clara disposição dos produtos torna a orientação ainda mais fácil.

Os países ALDI Nord
Palavras claras em termos de sustentabilidade: em diálogo com a ALDI Espanha

Seja na moderna página web, com campanhas fortes de comunicação, ou nas redes sociais: na ALDI Espanha, o diálogo com os clientes e outras partes interessadas faz parte. Também os temas ambientais são tidos em conta.

Destaques
O futuro é verde: este será o aspeto do campus ALDI Nord

Aguardado com curiosidade: o novo campus nas instalações do ALDI Einkauf em Essen-Kray (Alemanha). O moderno edifício cumpre elevados padrões de sustentabilidade e oferece espaço suficiente para todos os trabalhadores do ALDI Einkauf.

Os países ALDI Nord
Com a energia do sol – a ALDI Portugal

No Oeste da Europa Continental encontra-se a ALDI Portugal com 57 lojas. Aqui, o fotovoltaico e o empenho social assumem um papel muito importante.

Os países ALDI Nord
Produtos sustentáveis, logística eficiente –
A ALDI Bélgica e a ALDI Luxemburgo

Na Bélgica e no Luxemburgo as prioridades assentam na ampliação do sortido sustentável e numa logística eficiente em termos de recursos.

Temas principais
Embalagens & Economia Circular

As embalagens são indispensáveis para garantir a segurança e a qualidade do produto. Por isso, apostamos em materiais reciclados e em sistemas reutilizáveis.